O ano de 2018 será o “Ano Municipal da Alfabetização”

O ano de 2018 será o “Ano Municipal da Alfabetização”

Compartilhar

O ano letivo de 2018 será o “Ano Municipal da Alfabetização” e também o ano da educação integrada, utilizando os bairros como elementos integradores. Estas foram algumas das novidades anunciadas nesta quarta-feira (31/01), durante o dia de reuniões com diretores e orientadores da rede municipal de ensino de Maricá, ocorridas na casa de festas Palladon, no Flamengo. Pela manhã, a secretária Adriana Luiza da Costa se encontrou com diretores gerais e orientadores pedagógicos. À tarde, foi a vez dos diretores adjuntos e orientadores educacionais ouvirem as diretrizes do ensino nas 61 unidades escolares (incluindo oito que serão entregues ao longo do ano), que tem cerca de 21 mil alunos matriculados.

Neste ano, a avaliação dos estudantes passa a ser trimestral e não mais por bimestres, e entra em vigor uma nova proposta curricular com foco na chamada formação integral. De acordo com o assessor de Políticas Educacionais da secretaria, Rodrigo Moura, a atividade educacional vai estar integrada a outros setores da administração pública, como a Saúde e a Assistência Social. Outro projeto para 2018 é o “Maricá no Mundo da Leitura” que, segundo ele, “pretende libertar a mente das crianças”.

“Nós entendemos que educação integral não diz respeito somente ao tempo todo na escola. O que queremos é que o aluno aprenda observando o que existe no bairro onde estuda, mesmo com eventuais problemas. A meta é a formação social, psíquica e afetiva”, explicou Rodrigo. Para a secretária de Educação, o novo perfil de ensino em Maricá dá pleno sentido à filosofia adotada do ‘sabor dos saberes’. “É isso mesmo, fazer com que o aprender seja saboroso aos alunos dinamizando o ensino”, reforçou Adriana Luiza.

As reuniões serviram também como um grande reencontro dos profissionais desses setores, um dia antes de começar a receber os professores nas unidades e há poucos dias do início das aulas, na próxima segunda-feira (05/02). “É bacana porque a gente pode rever as colegas depois das férias e também saber o que há de novo para repassar às nossas equipes. Acho super válida essa reunião”, disse Fabiana Maia Bonfim, orientadora pedagógica do CAIC Elomir Silva, no Marine, em São José de Imbassaí.

Escolas novas – Das oito novas unidades de ensino de Maricá, duas estão em fase de acabamento. A do Flamengo terá o nome de Pastor Clério Boechat, homenagem ao líder da Primeira Igreja Batista da cidade. Outros tributos serão prestados à ex-primeira dama do Brasil Marisa Letícia (nome da unidade de Inoã) e à professora e ex-vereadora Maria Cristina de Lima Corrêa, a Cris de Itaipuaçu (ao lado da CEIM Valéria Passos), ambas falecidas no ano passado. O prédio que abriga atualmente o Instituto Federal Fluminense (IFF), nas Pedreiras, passará a ter o nome de Romilda dos Santos quando a escola técnica inaugurar seu novo campus, em Ubatiba. Além disso, haverá ainda duas escolas nos condomínios do ‘Minha Casa, Minha Vida’ de Inoã e Itaipuaçu e novas creches municipais no Boqueirão e em Santa Paula.